/Ciclo Tendências e Soluções promove qualificação continuada dos profissionais da comunicação

Ciclo Tendências e Soluções promove qualificação continuada dos profissionais da comunicação

Evento promovido pela Secretaria de Estado da Comunicação trouxe os jornalistas Thomas Traumann e Cristiana Gomes para falar sobre gerenciamento de crise e comunicação pública

por Carlos Victor Costa / Agência Alagoas

Foto: Pei Fon/ Agência Alagoas

A primeira edição do Ciclo Tendências e Soluções, promovido pela Secretaria de Comunicação, nesta segunda-feira (24), atraiu cerca de 200 profissionais da área que atentos ouviram as palestras do jornalista e consultor de política Thomas Traumann, e da jornalista Cristiana Gomes, sobre gerenciamento de crise e a comunicação pública. O governador Paulo Dantas abriu o evento e ressaltou a importância desses momentos para o aperfeiçoamento e compartilhamento de experiências. O Sindicato dos Jornalistas de Alagoas foi parceiro na iniciativa que aconteceu no Palácio República dos Palmares.

“Vocês como jornalistas, como comunicadores, tem uma função impar nesse processo de sempre respeitar a democracia. Desejo que vocês tenham uma ótima palestra e ciclo de aperfeiçoamento. Que seja extremamente enriquecedor porque todos nós sabemos da qualidade do Thomas, como também da Cristiana que estão aqui para falar sobre suas experiências e gerenciamento de crise requer experiência e vivência. Parabenizo a iniciativa da Secom através do secretário Joaldo, do Wendel, do Alexandre Lino e de todos que fazem a comunicação do estado”.

Durante a palestra, Thomas falou sobre a comunicação de massa e a atomização da notícia, num país polarizado e apresentou conceitos e medidas de prevenção às situações inesperadas que podem afetar as organizações. O jornalista também comentou sobre a proliferação das fake news e das novas mídias, destacando as vantagens para o futuro do jornalismo.

“A ética básica você não mente, mas hoje estamos numa situação que existem pessoas que se vendem por querer, não só mentem por querer, mas mentem por profissão porque a mentira faz com que você consiga mais audiência e tem uma questão tecnológica hoje que incentiva o tipo de notícia que cria indignação, repulsa ódio e nojo. Isso tem um efeito danoso que é o fato que as pessoas perdem o sentido de onde termina o que elas estão vendo na internet e o que acontece no dia-a-dia”.

Ele citou algumas experiências de gerenciamento de crise que vivenciou no período em que foi secretário de Comunicação Social da presidente Dilma Roussef, quando teve que preparar uma peça publicitária para tentar arrefecer as manifestações populares contra a Copa do Mundo de 2014. Segundo ele, o que mais alarmava o Planalto era a possibilidade de a Copa servir de palco para novas cenas de convulsão social, repetindo a onda de protestos de junho de 2013.

“Uma equipe foi escalada para inspecionar as 12 cidades-sede da Copa. A tarefa dos servidores era sentar e discutir exaustivamente com representantes de movimentos sociais dos mais variados segmentos pontos que era alvo de críticas. A ideia foi tentar convencê-los de que o mundial seria bom para o país. Diante disso, nós exibimos propagandas em rede nacional para mostrar à população argumentos de que a Copa do Mundo traria benefícios para o Brasil. No final tudo deu certo”, contou.

ENFRENTANDO CRISES

A jornalista Cristiana Gomes também participou do projeto idealizado pela Secom. Com mais de 20 anos de experiência em redações de TV, como também atuações em assessoria de imprensa e mídia training para campanhas políticas e porta-vozes, Cristiana promoveu um treinamento sobre como os profissionais devem se posicionar ao reagir a uma demanda ou situação com potencial de crise.

Ela apresentou diversos casos nacionais e internacionais, em que alguns as respostas foram positivas e que em outras a crise acabou sendo maior do que se imaginava. Diante dos casos apresentados, a jornalista apresentou algumas regras de como responder à mídia, ressaltando a utilização de três aspectos conhecidos como os 3R´s: Responsabilidade, remorso e reparação e dando exemplos de posicionamentos por parte da comunicação.

CONTINUIDADE

O secretário de Comunicação, Joaldo Cavalcante, se mostrou satisfeito com a realização da primeira edição do ciclo de aperfeiçoamento e com a participação assídua dos profissionais. “Outros eventos virão para continuarmos buscando formas pelas quais possamos capacitar mais e sermos sempre aprendizes desse processo de comunicação. Essa presença assídua aqui é muito importante porque quebramos a ideia de que a Agência Alagoas deveria ser sepultada, ela renasceu no sentido de a gente trabalhar e encarar as assessorias como as nossas sucursais valiosas naquilo que foi dito aqui que é produção de informação e não há como produzir informação sem apurar na fonte, nas assessorias, onde as coisas acontecem em cada área de governo. E aqui a resposta veio na produção gigantesca de conteúdo. Nesses seis meses de governo nós geramos muito mais conteúdo do que semestres anteriores somados”.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas, Alexandre Lino, agradeceu a parceria da Secom, através dos secretários Joaldo Cavalcante e Wendel Palhares (Executivo), para que o evento fosse realizado. “Estamos felizes com a casa cheia e está assim porque existia a necessidade de estar capacitando, qualificando, de estar mantendo a comunicação antenada. A gente sabe que o governo, através da Secom, tem feito esse esforço de deixar a comunicação cada vez mais horizontal, pública e permanente. Agradeço ao secretário Wendel Palhares por ter incentivado a realização do evento e colocar o sindicato nessa construção do evento e ter diversos profissionais de comunicação juntos aqui”, afirmou.