/Ator denuncia escola por prova com foto de Jesus crucificado: “Bandido bom é bandido morto”

Ator denuncia escola por prova com foto de Jesus crucificado: “Bandido bom é bandido morto”

Redação A Hora News

Legenda: Prova de sociologia apresenta uma frase infeliz utilizada para criticar cristãos apoiadores do presidente | Foto: Reprodução

O ator Mário Gomes foi até a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), do bairro do Catete, no Rio  de Janeiro, para denunciar a escola onde seu filho adolescente estuda.

O motivo é uma questão da prova de sociologia que trazia uma imagem de Jesus crucificado com os dizeres “bandido bom é bandido morto”.

A questão está relacionada aos estudos sobre o teórico Max Weber (1864-1920). Os alunos tinham que analisar a imagem e responder a seguinte questão: “Este é um meme criado a partir da obra ‘Cristo Crucificado”, do pintor espanhol Diego Velázquez. Considerando o meme, identifique pelo menos um dos três tipos puros de dominação conceitualizados por Weber. Justifique-se, sempre em termos weberianos”.

Ao gravar um vídeo na delegacia, o ator questionou a intolerância religiosa da escola ao usar a imagem de Jesus Cristo com dizeres que dão a entender que o Salvador seria um bandido.

“Isso aqui é um sacrilégio. ‘Bandido bom é bandido morto’, como se Jesus Cristo fosse algum bandido. Alguém que pregou a paz, que pregou a compreensão, o entendimento entre a pessoas”, disse Mário que é católico e educa seu filho também dentro da religião.

Gomes ganhou apoio de milhares de pessoas em suas redes sociais. Inclusive parlamentares evangélicos que divulgaram o caso para mostrar o quanto as crianças estão sendo doutrinadas nas escolas.

A imagem utilizada na prova é compartilhada há alguns anos nas redes sociais para ironizar o apoio que os cristãos católicos e evangélicos dão ao presidente Jair Bolsonaro que sempre defendeu a ideia de “bandido bom é bandido morto”.