/Número de reeducandos que trabalham no sistema prisional cresce 89%

Número de reeducandos que trabalham no sistema prisional cresce 89%

Ações realizadas pela Seris elevam acesso de apenados a atividades laborais e contribuem para a segurança pública

por Regina Carvalho / Ascom Seris

Alagoas é destaque na evolução do número de reeducandos que trabalham – Foto: Jorge Santos e Matheus Omena / Ascom Seris

O acesso ao trabalho é uma das formas de assegurar a dignidade humana. É assim que age o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), ao registrar o crescimento do número de reeducandos que passaram a exercer atividades laborais. A evolução aparece nos números.

De janeiro de 2023 a maio de 2024, o percentual de aumento de reeducandos que trabalham chegou a 89%, subindo de 1.159 para 2.194. A medida garante reinserção social, possibilidades de emprego e renda e menos risco de reincidência criminal, o que contribui para a segurança pública de Alagoas.

Os dados que retratam o crescimento do número de reeducandos que passaram a trabalhar foram acompanhados e reunidos pela Gerência de Trabalho, Renda e Assistência Social (Getras) da Seris.

“Estamos mantendo a ordem e a disciplina dentro do sistema e ainda fortalecendo o trabalho e a educação. O resultado de tudo isso aparece nos números. Temos parceiros que nos ajudam nessa missão de proporcionar reinserção social para aqueles que um dia sairão do sistema prisional, garantindo uma forte contribuição à segurança pública do nosso estado”, destaca o secretário Diogo Teixeira.

Um exemplo desse reconhecimento às ações desenvolvidas pela Seris ocorreu no mês de abril, em Brasília. Durante evento realizado pela Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), Alagoas recebeu o Selo Nacional de Responsabilidade Social pelo trabalho prisional desenvolvido.