/Visita virtual melhora quadro clínico de pacientes com Covid-19, garantem médicos

Visita virtual melhora quadro clínico de pacientes com Covid-19, garantem médicos

Recurso que está sendo utilizado no Hospital da Mulher emociona e diminui distância entre pacientes e familiares

por Marcel Vital – Ascom Sesau

Manuel Messias disse que ver os familiares por vídeo melhorou seu psicológico – Foto: Marcel Vital

A tecnologia tem sido uma grande aliada da saúde nesta fase de pandemia do novo coronavírus, onde as visitas presenciais estão suspensas para evitar contaminação. E para que esse momento entre paciente e família, tão importante na recuperação de quem está doente, não seja prejudicado, uma nova forma de se conectar com que se ama foi criada: a chamada visita virtual, que está sendo feita pela equipe multidisciplinar do Hospital da Mulher Drª Nise da Silveira, localizado no bairro Poço, em Maceió, unidade habilitada em Alagoas para tratar pacientes com a Covid-19.

Com a presença da assistente social Kalyca Nascimento e da psicóloga Girlenne Albuquerque, a professora de História Roseane Silva de Omena, de 47 anos, aproveitou o recurso da chamada de vídeo para desejar feliz aniversário ao filho, João Gustavo. Ele completou 23 anos na segunda-feira última (15) e, graças a uma chamada de vídeo, pôde comemorar o aniversário com a mãe, que esteve internada no Hospital da Mulher e recebeu alta nesta sexta-feira (19).

“A sensação que tive de falar com meu filho foi maravilhosa. É uma forma de mostrar que estou vencendo, dia após dia, a Covid-19. Ao fazer uma chamada de vídeo, sinto que tenho o apoio da minha família, embora, neste momento, a gente esteja distante. A minha mãe, meu filho e o meu marido ficam sabendo que eu estou bem e isso conforta os nossos corações”, contou ela, emocionada.

Entre as maiores lições que Roseane aprendeu nos 21 dias em que esteve internada no hospital – sete deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) – é o de ajudar mais pessoas, assim que voltar para o seio familiar. “Eu estava muito egoísta, só pensando em mim. Estava fechada no meu mundo e vivendo numa espécie de bolha. Então, depois de sair daqui, vou ver a vida com outros olhos”, acrescentou.

Já Manuel Messias de Oliveira, de 54 anos, que também conversou com sua família virtualmente, não escondeu a saudade da famosa macarronada que sua mulher faz. “A iniciativa do hospital em fazer essa chamada de vídeo foi excelente. Quando a gente fica internado durante muitos dias, como eu passei, nosso psicológico fica muito abalado, embora os profissionais daqui me ajudem muito com isso. Fiquei nove dias entubado na UTI e, ao voltar, me senti um tanto desconfortável em vários aspectos. Ver minha família através de uma tela, traz uma esperança de que tudo vai ficar bem”, disse ele, que é pastor no município de Satuba, distante 14 km da capital.

Para a infectologista e gerente médica do Hospital da Mulher, Sarah Dominique, a visita virtual tem ajudado sobremaneira a equipe multidisciplinar do Hospital da Mulher a prestar uma assistência na melhora psíquica, espiritual e orgânica aos pacientes que participam do projeto. “A assistência humanizada traz o ambiente doméstico para próximo do paciente, faz com que ele consiga visualizar ou ouvir, seja pela tela do tablet ou do áudio do smartphone, as pessoas que ele mais ama no mundo. Compartilhando de um momento que é de angústia e de distanciamento, família e paciente transformam poucos minutos num tempo especial, acolhedor e importante, sobretudo, para o quadro clínico de quem está internado”, salientou.

A psicóloga Girlenne Albuquerque ressalta que a visita virtual tem ajudado no quadro clínico dos pacientes, visto que a ferramenta consegue dar uma motivação na autoestima de quem está internado nos leitos clínicos e da UTI da unidade hospitalar.

“Pois, a cada ligação, seja por vídeo ou por áudio, os familiares, mesmo que distantes, percebem que os pacientes estão sendo bem-cuidados pela nossa equipe multidisciplinar. Uma das maiores preocupações dos pacientes que contraíram a Covid-19 é de que seus familiares também vão adoecer. Então, quando eles recebem respostas positivas de seus entes queridos sobre o estado de saúde, a sensação é de conforto e paz. Logo, isso favorece de forma significativa na recuperação”, destacou a profissional.